Buscar

Gestão de Crise: o setor de investimentos e de concessionárias frente à crise

Os associados Thiago Rizzo e Stephanie Giuberti compartilharam sobre como estão lidando com os efeitos da pandemia em suas empresas



A crise sanitária gerada pelo novo coronavírus é sem precedentes. Há cerca de 90 dias do primeiro caso confirmado no Brasil, a taxa de reprodução da doença foi reduzida desde o início da pandemia. Enquanto no Espírito Santo, para minimizar o contágio da doença, o Estado inicia amanhã, 27, a segunda fase de uma campanha de testagem da população capixaba.


Ao mesmo tempo, os efeitos da nova doença na economia são inquestionáveis e cada vez mais visíveis: projeção de queda no PIB brasileiro em quase 6%, aumento da taxa de desemprego, entre outros indicadores. Contudo, segundo Thiago Rizzo, sócio assessor de investimentos da Golden Investimentos, muitas pessoas têm migrado de bancos tradicionais para corretoras, mantendo seu mercado de atuação ativo.


Diante de um cenário inconstante, Thiago afirma que os valores do Líderes influenciam diretamente no seu comportamento, mas que a responsabilidade individual é imprescindível neste momento. “Enquanto muitas pessoas estão em casa aguardando as deliberações governamentais, em stand by com suas iniciativas e terceirizando qualquer tipo de infortúnio, passei a focar mais em meu negócio e clientes”, completa o associado.


Thiago contou que a formação do Líderes o auxilia a fazer reflexões de forma mais pragmática, independente dos acontecimentos políticos e econômicos. Em sua empresa, optou por manter as metas iniciais de trabalho, mesmo com os desafios do trabalho remoto, buscando constantemente o alinhamento e integração da equipe. Ele afirma ainda que, aqueles que reagem agora com protagonismo, no futuro verão que lideraram seus negócios através do exemplo executivo e que contribuíram para o amadurecimento de seu ambiente político e econômico.


Em paralelo, no setor de concessionárias a venda de veículos novos caiu mais de 50% no mês de abril. Com o fechamento de lojas, a redução de crédito para o consumidor e contratempos com a burocracia de órgãos reguladores, o setor tem sofrido os impactos negativos da pandemia. Stephanie Giuberti, que é sócia administradora do Grupo Podium Veículos no estado e em Campos dos Goytacazes/RJ, além de praticar o valor de responsabilidade individual em seu dia-a-dia, conseguiu disseminá-lo entre seus funcionários.


“Na empresa, todos os colaboradores além de possuírem liberdade, são motivados a darem sugestões de melhorias. Como houve redução de horário e de colaboradores na empresa, foi exercitado o conceito de responsabilidade individual. A empresa é só uma, e quem faz ela é cada um. Nunca a responsabilidade individual foi tão importante como agora.”, afirmou Stephanie. O Grupo Podium foi pioneiro no estado em vendas de carro online, uma consequência da junção de ideias dos próprios colaboradores.


A associada acredita na importância do líder que entende o que é economia de mercado e que age alinhado com seus valores, baseados em ideais de liberdade, ética e responsabilidade individual, para tomadas de decisões assertivas e críticas. Ademais, Stephanie apontou um dos livros ciclo de leitura do Instituto, como um norteador neste momento. Como líder, ela conta que o livro “Paixão por Vencer”, de Jack Welch, tem ajudado a lidar com os impasses decorrentes da pandemia.

33 visualizações