top of page
  • Líderes

Explorando Conceitos de Geopolítica

Artigo de Opinião - Por Leonard Batista, Associado III do Instituto Líderes do Amanhã

Os recentesconflitos bélicos ao redor do mundo tornaram cada vez mais abordadas, na mídia e nas redes sociais, as mais variadas análises geopolíticas. Muitas vezes essas abordagens vêm carregadas de conteúdo muito específico sobre uma única disputa ou uma única região, e acaba se tornando uma análise de atualidades. Analisar geopolítica de uma maneira míope pode impedir a evolução de uma visão capaz de analisar outras situações semelhantes e muitas vezes esquecidas pela mídia. Neste contexto, o presente artigo visa explorar conceitos básicos de geopolítica agregando, à análise, visões de diferentes autores sobre o tema.


O termo “Geopolítica” foi cunhado no século XIX pelo cientista político sueco Rudolf Kjellén, que além de docente nas universidades de Uppsala e Gotemburgo, foi, também, um membro do Parlamento Sueco entre 1905 e 1917, sendo considerado um político conservador.


Na visão de Kjellén, é imperativo entender que geopolítica é uma ciência que inexiste sem a presença do Estado, e por vários autores foi considerada uma ciência política dedicada a descrever o Estado. De uma forma mais romântica, e até mesmo determinística, Kjellén se dedicou a estudar “o Estado em toda sua totalidade, tal como se manifesta na vida real”. Em sua visão, o autor estabelece 4 atributos do poder em geopolítica:


1. Geografia – que descreve a relação entre o Estado e seu território.

2. Economia – tratada como uma relação entre o Estado e suas atividades econômicas.

3. Sociologia – estabelece a relação entre o Estado e sua sociedade nacional.

4. Política – define a forma, o poder e a vida do Estado


Essa visão clássica do termo entende o Estado como um organismo territorial, que mobiliza a sociedade em defesa de suas fronteiras. O Estado busca o alcance desse objetivo em comum através da implementação de políticas públicas com foco na garantia da coesão entre sociedade e território, unindo o povo ao solo.


O aumento da complexidade das relações políticas e econômicas no último século trouxe consigo uma evolução do entendimento sobre geopolítica. O foco em Estado e política, muito presente na visão clássica, perde espaço para um entendimento mais amplo que passa a tratar da disputa de poder no espaço mundial. Dessa forma, a busca por dominação cultural, econômica, ou militar, seja via Estado ou não, trouxe uma nova visão a respeito do tema.


De toda forma, a geopolítica sempre tratou de pressões e intervenções de todos os tipos. No início do século XX, caracterizado pelo advento da visão clássica sobre o tema, o Estado era entendido como a única fonte de poder e política, e por isso se tornou o centro das atenções. Com a evolução do tema, o Estado passou a sofrer muita influência para sua tomada de decisão, e, com isso, outros atores passaram a ter o tão desejado poder, tratado na visão mais contemporânea da geopolítica. Com isso, grandes corporações, fundos de investimentos, influenciadores, organizações multilaterais como ONU e OTAN, e a mídia passaram a compor um seleto grupo de atores que, juntamente com Estado, participam da geopolítica mundial.


O entendimento da disputa de poder presente na geopolítica e de todos os atores que possam estar envolvidos no tema nos auxilia a ter uma visão mais profunda das tensões presentes atualmente no mundo. Deixar de lado visões rasas e, que em grande parte das vezes vêm carregadas de falácias ideológicas, nos permitirá enxergar além das manchetes sensacionalistas.


Leonard Batista, Associado III.


1 visualização0 comentário
bottom of page