Buscar

Afinal, é papel da iniciativa privada promover a equidade de gênero?

Em júri simulado os associados debateram sobre o papel da iniciativa privada na promoção da equidade de gênero


Aconteceu nesta segunda-feira, 16, o júri simulado com o tema “É papel da iniciativa privada promover a equidade de gênero?”. O debate trouxe à tona os prós e contras relacionados a promoção da equidade de gênero nas empresas. Mediados pelo associado Mário Miranda, os apresentadores se puseram em lados opostos, parte para defender a tese de que é papel da iniciativa privada o fomento da equidade de gênero, e outra parte afirmando de que esse não é dever da iniciativa privada.

“Em meio a movimentos de inclusão social e de diminuição de desigualdades, a XP Inc. se posiciona, sendo a primeira empresa do país a assumir um compromisso público com a luta pela equidade de gênero”, contextualizou o associado Mário Miranda, ao abrir o evento. Diante do proposto, as equipes, formadas pelos associados Igor Reuter, Juliana Lourenço, Yuri Fernandes, Rodrigo Paes, Lara Ghiotto e Luiz Henrique Stanger, elaboraram suas defesas e argumentações.

Os Júris Simulados organizados pelo Instituto, consistem na realização de debates sobre temas atuais, mediante a dinâmica de constituição de bancas de acusação e de defesa. Essa atividade tem como propósito central a discussão, capacidade de argumentação e a análise de temas cotidianos sob diferentes perspectivas.

23 visualizações